terça-feira, 23 de março de 2010

Reforma do centro

Parceria renova promessa para revitalizar o Centro


Prefeitura assina na quinta-feira acordo com empresa para investir R$ 1 milhão no coração da Capital

Quase dois anos depois de anunciado, o projeto de renovação do entorno do Mercado Público, no centro da Capital, ganhou um novo alento. A prefeitura e a Vonpar Refrescos – empresa que representa a Coca-Cola no Rio Grande do Sul – devem assinar na quinta-feira o termo de adoção da área. O investimento previsto é de R$ 1 milhão.

A iniciativa prevê uma série de obras para dar uma nova cara ao local, especialmente no Largo Glênio Peres, Praça 15 e a Avenida Borges de Medeiros. Pelo cronograma, as primeiras intervenções devem começar em abril, devendo ser finalizadas em maio de 2012.

Previstas inicialmente para começar ainda em 2008, após a transferência dos vendedores ambulantes para o Camelódromo, as obras demoraram mais do que o esperado. O shopping popular só abriu as portas em fevereiro do ano passado.

Além disso, a busca de recursos e parceiros para executar o projeto também atrasaram.

O contrato com a Vonpar será semelhante ao utilizado com a Pepsi e a Sinergy Novas Mídias, que adotaram parte da orla do Guaíba e o Parque da Redenção. Em troca, elas podem explorar a publicidade nas duas áreas.

Segundo o gerente do programa Cidade Integrada, Glenio Boher, o largo passará por uma renovação total, que vai da recuperação do piso até a criação de espaços de convivência, como os decks cobertos utilizados pelos permissionários do mercado. Estão previstas também melhorias na Avenida Borges de Medeiros e na Rua Marechal Floriano. A empresa ficará responsável pela manutenção das áreas por três anos.

Boher ressalta que a revitalização será concluída com obras próximas ao Chalé da Praça 15, entre as ruas Marechal Floriano e José Montaury. Esse empreendimento receberá investimentos do próprio município e deve ser iniciado ainda neste ano. Pelo programa, a área do histórico Chalé deverá ser ampliada.

– Muitos espaços estão ociosos hoje e queremos atrair turistas e os moradores para lá – afirmou o gerente do programa.

A reforma do próprio chalé dependerá da busca de recursos da Lei de Incentivo à Cultura.


Ai eu pergunto, pra que prefeito?? Com as taxas, impostos, exorbitantes arrecadados em porto alegre ainda assim pra fazer o que deveriam usam recursos da inciativa privada, então vamos privatizar a cidade!

Nenhum comentário: